Principal Calendário Fale Conosco Outros Sites Mapa do Site
 Busca 

Pesquisas Anuais

Sobre a PPM - Produção da Pecuária Municipal

     Esta pesquisa iniciou-se no Ministério da Agricultura em 1945. As informações foram levantadas pelos Agentes Municipais de Coleta do IBGE, cabendo ao Ministério da Agricultura a elaboração dos questionários, a apuração, a crítica e a divulgação dos resultados.

     Em 17-01-1974, pelo Decreto no 73.482, o IBGE passou a responsabilizar-se por todas as fases da pesquisa. As informações relativas ao ano de 1971 e 1972 não estão disponíveis por não terem sido divulgadas pelo Ministério da Agricultura. Até 1980 as variáveis pesquisadas para bovinos eram: rebanho bovino, vacas ordenhadas, leite de vaca, utilização predominante da criação (corte ou leite), touro reprodutor, boi de trabalho, boi para corte, novilho para corte, vaca leiteira, vaca de cria, vaca velha, novilha, bovino (entre 1 e 2 anos), bovino (menor de 1 ano), e leite de vaca. Para suínos eram levantadas até 1980 as seguintes variáveis: rebanho suíno, macho reprodutor, porca criadeira, leitões e outros porcos e porcas. Para galináceos, o levantamento compunha-se de galinhas, juntamente com galos, frangas, frangos e pintos. A utilização predominante dos galináceos constou predominantemente até 1980 (corte ou postura), bem como ovos de outras aves (patas, marrecas, gansas e peruas). Em 1981, as principais mudanças ocorridas no questionário referiram-se classificação do rebanho bovino, que passou a coletar informações para as classes: menores de 1 ano, de 1 a menos de 2 anos e de 2 anos e mais (touros reprodutores, vacas e outros). Já os suínos passaram a ter as informações coletadas segundo as classes: menores de 6 meses e de 6 meses e mais.

     A partir de 1989, o questionário foi mais uma vez modificado em seu conteúdo, conservando sua forma até hoje. As alterações principais introduzidas foram com relação ao rebanho bovino, que passou a ser investigado por uma classe única, os suínos, que passaram a ter a coleta pelas seguintes categorias: porcas criadeiras e outros porcos e porcas, e finalmente destaca-se que o levantamento dos preços médio pagos ao produtor das espécies animais foi abolidos.

     Em 2006, o plano tabular da Pesquisa da Pecuária Municipal foi alterado, visando principalmente dar maior destaque aos principais municípios produtores da pecuária nacional, apresentando os dados por Grandes Regiões e Unidades da Federação, os efetivos e produções por ordem decrescente de todas as Unidades da Federação e dos 20 principais municípios para cada efetivo e produção da pecuária.

     Os efetivos de animais foram agrupados de acordo com o porte, conforme utilizado pelo Censo Agropecuário 2006. O total de galináceos, representando a soma de galos, frangas, frangos, pintos e galinhas também passaram a ser apresentado. Para cada efetivo, a participação da unidade territorial no total nacional foi calculada.

     Os produtos da pecuária estão ordenados pela importância econômica, sendo que as unidades de massa e valor da produção passaram a ser expressas em toneladas (t) e mil reais (R$ 1.000), respectivamente. Foram incluídas as colunas de produtividade estimada de leite (em litros/vaca/ano) e a relação entre vacas ordenhadas e o efetivo total de bovinos, permitindo uma melhor distinção da predominância da finalidade do rebanho bovino (corte ou leite).

     Unidades territoriais que não apresentaram efetivos ou produção em cada tabela foram omitidas, quando possível.

Objetivo
A Produção da Pecuária Municipal destina-se a fornecer informações sobre os efetivos das espécies animais criadas, como também dados sobre as produções de leite, lã, ovos de galinhas e de codornas, mel e casulos de bicho-da-seda, em nível de municípios, microrregiões, mesorregioes, Unidades da Federação, Grandes Regiões e Brasil.

Periodicidade e abrangência geográfica
A investigação é realizada anualmente e abrange todo o Território Nacional. Os efetivos dos rebanhos têm 31/12 por data de referência, e as produções dizem respeito ao ano de referência da pesquisa.

Unidade de investigação
A unidade de investigação é o município em que se realiza a atividade pecuária.
Variáveis investigadas:
- Efetivo da pecuária
- Produção de origem animal
- Preço médio pago ao produtor


Metodologia da coleta
Os dados são obtidos pela rede de coleta do IBGE, mediante consulta a entidades pública e privada, produtores, técnicos e órgãos ligados direta ou indiretamente à produção, comercialização, industrialização, fiscalização, fomento e assistência técnica à agropecuária. A coleta de dados baseia-se num sistema de fontes de informação representativo de cada município, gerenciado pelo agente de coleta do IBGE, que obtém os informes e subsídios para a consolidação dos resultados finais. A unidade de investigação no inquérito estatístico Pesquisa da Pecuária Municipal é o município. O efetivo dos rebanhos tem como data de referência o dia 31 de dezembro do ano em questão.

Conceituação das variáveis investigadas
Vacas ordenhadas
Vacas mestiças ou de raça (de corte, de leite ou de dupla aptidão) existentes no município e que foram ordenhadas em algum período no ano-base da pesquisa, quer seja para autoconsumo, para transformação em queijos, manteiga, etc., ou para venda.

Leite de vaca
Quantidade total de leite (em litros) produzida, durante o ano-base da pesquisa, pelas vacas ordenhadas no município.

Ovinos tosquiados
Ovinos de qualquer idade ou sexo, pertencentes ao rebanho do município, que foram tosquiados durante o ano-base da pesquisa para fins de produção de lã.

Lã bruta
Quantidade total (em kg) de lã bruta (quer seja de velo, de garreio ou de cordeiro), obtida no município durante o ano-base da pesquisa.

Ovos
Produção total de ovos de galinha ou de codorna (em dúzias), obtida no município durante o ano-base da pesquisa.

Mel de abelha
Produção total (em kg) de mel (de abelhas criadas em apiários), obtido no município durante o ano-base da pesquisa.

Casulos
Produção total (em kg) de casulos do bicho-da-seda obtida no município durante o ano-base da pesquisa.

Preço médio pago ao produtor
Média dos preços recebidos pelos produtores, ponderados pelas quantidades comercializadas, no ano-base da pesquisa.

Valor da produção
Produção obtida, multiplicada pelo preço médio pago ao produtor.


Voltar Nosso site disponibiliza várias informações em novas janelas, portanto, desabilite sua ferramenta anti-popup.
IMB - Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos / SEGPLAN / Governo de Goiás - 6.252.055 Visitas
Av. República do Líbano nº 1945, 4º andar, Setor Oeste - CEP:74.125-125. Fone:(62)3201-6695 | (62)3201-6691 - E-mail: imb@segplan.go.gov.br